O hábito se tornou um vício

Antes de falar a minha opinião, gostaria que você pensasse na resposta das seguintes perguntas: Para você o que é Hábito e o que é Vício? Para meu amigo Diego Joselito, por exemplo, vício é algo que é ruim a partir do momento que atrapalha suas atividades normais.

Na minha opinião, hábito é aquilo que se faz com uma alta freqüência, com ou sem consciência, podendo ser bom ou ruim. Já o vício é uma “falsa dependência” sobre um certo hábito, falsa dependência porque se fosse uma dependência de verdade teríamos uma necessidade e não um vício.

Então, o vício é um hábito do qual há uma dificuldade de parar, ou seja, aquilo que se faz repetidamente e que se pararmos nos fará mal de alguma forma. O grau de vício dependem do ato ou substancia, da freqüência e tempo de uso, ou ainda de cada pessoa e suas necessidades. Exemplos de vício: Assistir seriados americanos, comer chocolate, jogar video-game, beber coca-cola, usar sorine ou ainda, cheirar cocaína.

Exemplificando: Maria, de 20 anos, não costumava fazer nada a noite e por influência, hoje ela assiste a novela da globo, desde os 15 anos, todas as noite, sem excessão para se sentir “bem”. O hábito de Maria, é sim um vício, que ela terá uma dificuldade de se livrar tão intenso, quanto for a freqüência (todos os dias) e tempo (5 anos) de seu vício e da necessidade dela de combater o vício, para ela possivelmente nenhuma necessidade.

Exemplificando novamente: João, de 20 anos, tem sinusite e usa Sorine, desde os 15 anos, de seis em seis horas para se sentir “bem”. O hábito de João, é um vicio que ele terá uma dificuldade de se livrar tão intenso, quanto for a freqüência (seis em seis horas) e tempo (5 anos) da substancia do Sorine, que é altamente viciante, e da necessidade dele de combater a doença dele.

Exemplificando mais uma vez: Pedro, 20 anos, não tinha nada para fazer a tarde e por influência, tem um vício em cocaína, desde os 15 anos, “necessitando” a ele fazer uso todos os dias para se sentir “bem”. O hábito de Pedro, é um vício que ele terá uma dificuldade de se livrar tão intenso, quanto for a freqüência (todos os dias) e tempo (5 anos) da substancia da cocaína, que é altamente viciante, e da necessidade dele de combater essa droga.

As dificuldades ao pararmos um vício pode vir de diversas formas e intensidades também, por exemplo: um simples sentimento de falta ao parar, uma tristeza, uma dor de cabeça, um mal mental, psicológico, ou físico. Ao final, chego a conclusão que todo o vício é um mau hábito  pois lhe tira a liberdade de escolha.

Atualmente, nossos hábitos vêm se tornando vício. Já que hoje em dia muitas empresas trabalham para nos tornar viciados em sua marca ou seu produto ou ainda pessoas que trabalham para nos tornar viciados em seu modo de vida e por isso, perdemos a percepção que o vício é uma falha, algo ruim. A palavra vício é o oposto de virtude e vêm da palavra “vitium”, que quer dizer defeito ou falha. Por tanto, para seu próprio bem estar, não permita que lhe tirem a sua liberdade, não fique escravo de marcas, ou produtos, ou BBB, ou vídeogames, ou drogas. Não permita que nenhum dos seus hábitos torne um vício, seja livre.

Fica aí a dica, aproveite-a.

Anúncios

2 Respostas to “O hábito se tornou um vício”

  1. Bruna Says:

    essa do BBB foi pra mim q eu to lgd ¬¬

  2. Eduardo Pires Says:

    Parabéns!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: