Archive for abril \30\UTC 2010

O hábito se tornou um vício

30 de abril de 2010

Antes de falar a minha opinião, gostaria que você pensasse na resposta das seguintes perguntas: Para você o que é Hábito e o que é Vício? Para meu amigo Diego Joselito, por exemplo, vício é algo que é ruim a partir do momento que atrapalha suas atividades normais.

Na minha opinião, hábito é aquilo que se faz com uma alta freqüência, com ou sem consciência, podendo ser bom ou ruim. Já o vício é uma “falsa dependência” sobre um certo hábito, falsa dependência porque se fosse uma dependência de verdade teríamos uma necessidade e não um vício.

Então, o vício é um hábito do qual há uma dificuldade de parar, ou seja, aquilo que se faz repetidamente e que se pararmos nos fará mal de alguma forma. O grau de vício dependem do ato ou substancia, da freqüência e tempo de uso, ou ainda de cada pessoa e suas necessidades. Exemplos de vício: Assistir seriados americanos, comer chocolate, jogar video-game, beber coca-cola, usar sorine ou ainda, cheirar cocaína.

Exemplificando: Maria, de 20 anos, não costumava fazer nada a noite e por influência, hoje ela assiste a novela da globo, desde os 15 anos, todas as noite, sem excessão para se sentir “bem”. O hábito de Maria, é sim um vício, que ela terá uma dificuldade de se livrar tão intenso, quanto for a freqüência (todos os dias) e tempo (5 anos) de seu vício e da necessidade dela de combater o vício, para ela possivelmente nenhuma necessidade.

Exemplificando novamente: João, de 20 anos, tem sinusite e usa Sorine, desde os 15 anos, de seis em seis horas para se sentir “bem”. O hábito de João, é um vicio que ele terá uma dificuldade de se livrar tão intenso, quanto for a freqüência (seis em seis horas) e tempo (5 anos) da substancia do Sorine, que é altamente viciante, e da necessidade dele de combater a doença dele.

Exemplificando mais uma vez: Pedro, 20 anos, não tinha nada para fazer a tarde e por influência, tem um vício em cocaína, desde os 15 anos, “necessitando” a ele fazer uso todos os dias para se sentir “bem”. O hábito de Pedro, é um vício que ele terá uma dificuldade de se livrar tão intenso, quanto for a freqüência (todos os dias) e tempo (5 anos) da substancia da cocaína, que é altamente viciante, e da necessidade dele de combater essa droga.

As dificuldades ao pararmos um vício pode vir de diversas formas e intensidades também, por exemplo: um simples sentimento de falta ao parar, uma tristeza, uma dor de cabeça, um mal mental, psicológico, ou físico. Ao final, chego a conclusão que todo o vício é um mau hábito  pois lhe tira a liberdade de escolha.

Atualmente, nossos hábitos vêm se tornando vício. Já que hoje em dia muitas empresas trabalham para nos tornar viciados em sua marca ou seu produto ou ainda pessoas que trabalham para nos tornar viciados em seu modo de vida e por isso, perdemos a percepção que o vício é uma falha, algo ruim. A palavra vício é o oposto de virtude e vêm da palavra “vitium”, que quer dizer defeito ou falha. Por tanto, para seu próprio bem estar, não permita que lhe tirem a sua liberdade, não fique escravo de marcas, ou produtos, ou BBB, ou vídeogames, ou drogas. Não permita que nenhum dos seus hábitos torne um vício, seja livre.

Fica aí a dica, aproveite-a.

A vaca

28 de abril de 2010

Não, não estou falando desta vaca:

Eu estou falando da vaca do surf, que também não é essa:

A vaca ou caldo, é quando o surfista pega uma onda e cai da prancha e a onda o joga de um lado pro outro, pra cima e pra baixo, puxa e empurra tudo de uma vez. É como se estivéssemos no meio de uma batalha medieval, tomando chutes e socos por todos os lados. A noção de espaço vai por água a baixo, nos desorienta totalmente. Nunca se sabe o local onde fomos parar até emergir a superfície. Uma adrenalina dessa pode ser registrada em vacas como essa:

ou essa;

ou ainda essas:

“Essa sensação de indefesa, de imprevisibilidade pra onde seremos lançados e não existir nada que se possa fazer é agradável. Por quê? Exatamente por isso, não há nada que se possa fazer. Não tem como escapar. Não existem técnicas. Não há ninguém que seja melhor de tomar vaca que outro. Todos são vítimas.”

A seguir, os blogs que me ajudaram no texto. Vale a pena dá uma olhada:

http://blogdamafia.wordpress.com/tag/caldo/

http://oserdosurf.blogspot.com/2009/08/as-causas-do-vicio-vaca_04.html

Fica aí a dica, aproveite-a.

Não se preocupe, pois o plano já foi concluído

28 de abril de 2010

Nesse texto vou falar sobre o Plano de Deus, direcionando a aqueles que acreditam em Deus, e principalmente, aos que não acreditam.

Deus, independente de sua crença nele, é por definição um ser superior, perfeito, que é criador de tudo, inclusive deste universo que é o mundo. Então o plano de Deus, não é como o meus planos e seus planos, mas sim, o plano perfeito, o plano dos planos. Deixa eu explicar melhor…

O plano de Deus é amar ao seus filhos e viver junto a eles em um espaço onde quem habita é a paz e quem reina é o amor; e mais interessante do que essas palavras bonitas é a percepção desta realidade. O plano de Deus já prevê todos os nossos planos, e ao mesmo tempo, independe de nossos planos.

O que eu quero dizer com isso é que, Deus tem um plano para cada um de nós, seu plano é  amar todos os seus filhos com um amor Ágape, um amor puro, perfeito, pleno, independente de retorno. Isso porque, para que esse amor seja puro é necessário que não haja obrigações de amar-se em retorno, e por isso, existe o livre arbítrio. O livre arbítrio é a nossa capacidade de escolha, que envolve: se vamos amar ou não ao próximo.

Já os nossos planos, ainda que incluso no planejamento de Deus, são feitos por nós mesmos, graças ao livre arbítrio. E mesmo que o seu plano não seja amar a Deus, o plano de Deus não falhará.

Como há o livre arbítrio, faz-se necessário que nós, seres limitados, aprendamos a distinguir o correto do errado, é ai que está a beleza do aveso, pois “Só quem já perdeu na vida sabe o que é ganhar”, isso é uma realidade que nos ensina que a vida tem contrários e que a sombra só existe quando brilha alguma luz. Então, por mais difícil que seja lutar, não desanimei, pois toda luta só existe para um aprendizado.

Há um tempo atrás, eu conversava com meu irmão afim de descobrir o que o ser humano busca em vida. E essa mesma pergunta eu lhe faço: “O que o ser humano busca em vida?”.

Bem, nós chegamos a conclusão que todos buscamos sempre a sua própria felicidade. Tudo que fazemos; seja esse texto que estou escrevendo, ou a criação do computador, ou ainda o estudo na faculdade, a prova na quinta-feira, tudo, tudo, até a ajudar ao próximo visa somente a nossa felicidade.

E conversando com uma amiga hoje, descobri que nós buscamos a felicidade para estar em paz consigo mesmo. Depois, eu a perguntei: Onde fica o amor nessa história? Ela respondeu que o amor semeia a paz e é por isso que em um espaço onde quem habita é a paz, quem reina é o amor. E como Deus é amor e amor é caridade, cheguei ao seguinte entendimento: Ame a Deus e ame ao próximo como a si para alcançar a felicidade e viver em paz.

Conclusão final: O Plano de Deus já está feito, não te preocupas, pois ele independe dos nossos planos falhos. Ainda assim, quando conseguirdes o plano perfeito para ti,  tu buscarás sempre a tua felicidade para que a paz esteja conosco, mas como o amor é que semeia a paz, buscareis a Deus que é amor e como amor é caridade, vivereis em função do próximo, para que enfim, todos juntos caminhemos para o espaço onde quem habita é a paz e quem reina é o amor ou Deus.

Na prática, perceba que ao recusarmos ajudar ao próximo, estamos incapaz de “ver” mais a frente, por causa das nossas limitações como humano, mas se seguirmos o conselho de Deus, estaremos tirando um cisco, ou praticamente uma trave, e vendo mais além.

Fica aí a dica, aproveite-a.

A história das coisas na ilhas das flores

22 de abril de 2010

A história das coisas, e a Ilha das Flores, são dois vídeos que reservei para que meus amigos leitores. Por favor, apenas vejam esses vídeos, que fala dentre outras coisas na necessidade de cuidar do nosso planeta:

Título: A História das Coisas (The story of stuff)

Título: A Ilhas das Flores

Se você gostou, repasse a um amigo, ele também vai gostar.

Fica aí a dica, aproveite-a.

Sistema Preconceituoso de Cotas

22 de abril de 2010

Preconceito, ou conceito prévio, ou ainda juízo preconcebido, é uma atitude discriminatória, ou seja, que busca a segregação, separação, a divisão entre pessoas, lugares ou tradições e se baseia em uma generalização superficial e ignorante chamada estereótipo. Ignorante, pois ignora qualquer tipo de estudo sobre o tema, não busca o conhecimento verdadeiro, é taxativo. O preconceito é uma forma de autoritarismo social de uma sociedade com características doentias, que leva a marginalização e a violência.

Esse vídeo, que é uma música de gabriel, o pensador, explica de maneira muito inteligente o preconceito racial, ou racismo.

Sobre o tema, gostaria também de contar um história muito infeliz: Semana passada, durante a aula de Administração, meu professor apresentou o seguinte dado: 97% dos cargos ligado a gerência de grandes empresas são de brancos, e apenas 3% são de pessoas de cor negra. E ele disse a seguinte frase: “Isso mostra que apesar do racismo ser um crime previsto por lei, a nossa sociedade é racista”. Logo em seguida, eu disse que ele estava errado, a nossa sociedade não é mais racista, e que isso não provava nada, mas não soube explicar.

Ao pensar melhor gostaria de explicar a minha divergência: Lamento, que infelizmente apenas 3% dos cargos de gerência são de negros, mas não significa que somos preconceituosos. Esse dado estatístico nos revela apenas que, a grande maioria dos cargos de gerência de grandes empresas pertence a brancos, e nada a mais. O que não é novidade, pois como sabemos, o nosso país um dia já escravizou os negros, e quando houve a libertação nossos negros passaram de escravos, para a sociedade mais pobre, pois inicialmente não tinham nada.

Explicando melhor: A sociedade seria preconceituosa se houvesse um segundo dado estatístico dizendo que mais de 3% dos negros têm qualificação necessária para ocupar um lugar na gerência de grandes empresas, e apenas 3%  realmente ocupam cargos de gerência. Nessa mesma aula, o professor apresentou o dado que prova que ele estava errado. Menos de 5% dos alunos da universidade são negros. Isso já explica que não somos preconceituoso, pois não faria sentido se 50% ocupasse os altos cargos de gerência, e apenas 5% tivesse o ensino superior em cursos como administração.

Em vista desses fatos, gostaria de comentar a ignorância quanto ao sistema de cotas. Na minha opinião, claro, pois tudo que escrevo aqui é a minha opinião, NÃO deveria existir sistema de cotas.

Desde a libertação dos escravos, a sociedade aquela época já vem buscando a igualdade sobre todos os cidadãos, todas as pessoas devem ter o mesmo direito, independente de cor, raça, classe social, etnia, religião, etc. Mas acontece que os ignorantes, ao ver dados como: “Apenas 5% dos negros estão na universidade”, não percebe que o problema está nas escolas publicas que têm desvantagens sobre as particulares, de maioria branca. E tentam maquiar dados estatísticos baixando o nível de ensino, com soluções erradas e fracas, soluções curtas, impensadas.

O sistema educacional deve ser justo, ou seja, a entrada na faculdade dependa exclusivamente, da capacidade do aluno, do esforço realizado na escola, independente do cargo ou da importância social dos seus pais. O sistema de cotas nos revela a ignorância na avaliação e interpretação de dados estatísticos, assim como a injustiça diante sobre cidadãos. Devemos buscar a justiça e igualdade para todos os cidadãos, isso significa dizer, que não devemos ser preconceituosos.

Sou a favor da igualdade a todos, mas o que acontece é que o governo, por ter um período curto de eleição, apenas 4 anos, busca soluções rápidas, ainda que erradas, para que recebam o “mérito” ao final de seu mandato, para poder ser eleito novamente.

“Com isso, estão querendo dizer que os afro-descendentes são intelectualmente inferiores. Ora, se pela constituição, todos somos iguais, sem distinção de raça, credo, etc. Então as cotas só podem ser inconstitucionais.”

“Porque não fazer cotas para canhotos, homossexuais, índios, carecas, obesos, etc?”

“Para acabar com o problema racial o vestibular usa de racismo; que ironia.”

“Então, seria justo que na corrida Olímpica de 100 metros, os corredores de cor branca largassem na frente dos corredores negros, uma vez que, que eles são minoria nesse esporte?”

“As cotas só acabarão no dia em que o governo passar a olhar a população, não como negros, ou brancos, ou homossexuais, ou heterossexuais, ou aposentados, ou políticos, ou empresarios… mas sim como cidadãos.”

Peguei carona nesses dois blogs:

http://26hora.wordpress.com/2009/09/04/sistema-cafe-com-leite-cotas-no-vestibular/

http://casadobranquito.wordpress.com/2009/08/03/cotas-o-cliche-que-nao-poderia-faltar/

Atenciosamente.

Um Brasil pegando fogo

1 de abril de 2010

Apesar do título, Um Brasil pegando fogo, eu não falarei sobre o calor insuportável que esta fazendo todos os dias, particularmente em Recife, e nem vou falar em algum tema que envolve as eleições. Mas isso eu tenho que falar, por que para muitas das pessoas que conheço, eu conto essa história.

Uma das maiores descobertas da minha vida é o Brasil!

Não, eu não descobri o Brasil, quem descobriu foram os portugueses, eu descobri por que os portugueses nomearam o Brasil por Brasil. Os portugueses tem uma peculiaridade interessantíssima quando se trata de palavras, eles são muito objetivo, muito mais que os brasileiros. Por exemplo, chaveiro em portugal se chama porta-chaves, a secretária eletrônica se chama atendedor de chamadas, bola se chama esférico, a aeromoça é hospedeira de avião, e assim por diante.

É pensando nisso, e pensando no que meus professores de história me ensinaram sobre o Brasil que eu percebi o porque do nome.

Sabe-se que no Brasil houve a formação de uma colônia de exploração de uma arvore nativa chamada pau-brasil que tem uma madeira de coloração avermelhada utilizada pelos índios. Mas o que muitos ainda não sabiam é que o nome “Pau Brasil” vem de “Pau em estado Brasil”, que quer dizer “Pau em estado de brasa”, ou ainda “Pau que parece o fogo ardendo em brasa por ter uma coloração avermelhada”.

Por isso, fico impressionado ao ver que a bandeira de um país chamado Brasil, “em estado de Brasa”, não tem nem as estrelinhas vermelhas. E em tempos de copa do mundo, me faz imaginar que, assim como a seleção de Portugal, a melhor seleção do mundo deveria entrar em campo “pegando fogo”  com uma camisa toda vermelha ao invés da “amarelinha”.